Poemas de Celso Felizola Poemas de Lírian Tabosa
A Gesivaldo Gomes - Valdo
(Refazendo um poema perdido há mais de vinte anos)

Seus olhos, ainda abertos, serenos, imóveis,
Olhando o céu, nada veem.
Talvez ainda estejam em suas retinas congeladas,
As imagens das lutas travadas,
Mas seu corpo jaz inerte
De costas para o solo.
Nós, os companheiros revolucionários, chegamos tarde,
A Revolução, sua opção de vida, não aconteceu.
Antes chegou a morte
Na faca traiçoeira do algoz,
Disfarçado de amigo,
Ao serviço da reação.
Nos corações frustrados dos companheiros,
Acima do desejo de vingança,
Valdo se alça da estrada ocre e poeirenta
Onde seu sangue já formou pedaços endurecidos
Como um monumento à continuidade da luta,
Uma ode à Revolução que não verá.
O morto, morto está,
Mas vive sua memória.
A luta continua
Até a vitória final.

 

A Cansada Espera

Esperei por ti uma tarde inteira,
dois dias, três,
um mês, um ano,
mais ainda
e tu não viestes.

Como eu, milhões de apaixonados
esperavam por um momento
de alegria e de prazer.

Em teus braços queria cair,
queria te sentir e te abraçar
e num abraço bem forte
nada mais queria
que profundamente gozar.

Não!
Não só eu estava a esperar, mas, milhões de apaixonados
aguardavam tua chegada.
Porém um dia tu virás,
então veremos quanto valeu a pena
esperar por ti,

Oh LIBERDADE!

 

Poema para uma amiga que se foi (Cláudia Perluxo)

Tão cedo nos deixastes!
A saudade ainda esmaga nossos corações
E nos deixa a sensação de que poderíamos ter feito algo mais.
Mas a vida é assim:
Nos envolve,
Mastiga,
Digere
E nos cospe frente ao trágico...
E quando emergimos já é tarde.

Temos que viver com isso,
Mal dos nossos tempos.

O tempo

Ele é uma linha infinita

continua o mesmo

em todos os tempos.

 

O tempo é tempo

Sol nascendo, se pondo,

seca, chuva, vento, calmaria,nublado, ensolarado,

noite com Lua, ou sem,

os fenômenos, os mesmos.

Ele não passa.

É uma linha constante

dentro de um espaço convencional

criado pelo homem.

ETERNA COMPANHEIRA


Amante fiel, companheira,
Apaixonado sou por ti a vida inteira.
Acordado, escuto teus sussurros
Aliviando-me o cansaço, a fadiga
Das lutas desiguais.

Utópica, somente em sonhos realmente te desfruto,
Às vezes vitoriosa, às vezes em processo,
Mas sempre fiel a mim e aos teus amantes.

Apaixonado por ti a vida inteira,
Não sei se fiel à tua altura,
Que não morra eu, sem antes ver-te
Viva,
Triunfante, muito mais que antes
Mas se isso acontecer, que sigas adiante.

Se por infortúnio vieres a perecer também
Serás como a fênix!
Voltarás para alimentar os sonhos mil
Daqueles que anseiam e lutam por um novo porvir,